31 julho, 2009

Cabanas de Baixo - igreja

Longe das estradas movimentadas, Cabanas de Baixo, pertencente à freguesia de Cabeça Boa, é daqueles lugares de poucas vezes nos lembramos. Felizmente essa situação tem-se alterado quer pelo melhoramento nos acessos, quer pela crescente popularidade dos peixinhos do rio que aqui se podem comer.
A fotografia mostra a igreja de Cabanas de Baixo.

Moncorvo é notícia - Jul09

30 julho, 2009

Amar é...


Amar é

dar provas e não testar
edificar sem derrubar
ter e não exigir,

é alimentar o conseguido
preservar o já vivido
nada dando por conquistado.

Amar é

ser incondicional
independentemente do mal
que na vida pode arrastar,

é apoiar sem reservas
mesmo que nas trevas
ás vezes nos faça andar.

Amar é

acrescentar sem subtrair
ser leal e não trair
mesmo num mundo sem valores,

é estar sempre apaixonado
viver a vida empenhado
em demonstrar carinho e afecto.

Amar é sobretudo
ser macio como o veludo
e leve como uma flor,

é apesar e acima de tudo
conseguir sem sufocar
o fazer sentir o outro
o significado da palavra amar.

Poema dedicado ao meu marido, com quem venho de completar 12 anos de casamento.
Séfora R. para Solitário.

29 julho, 2009

Rostas Transmontanos, em Lisboa


A exposição de fotografia "Rostos Transmontanos", de Paulo Patoleia, vai estar em Lisboa a partir do dia 28 de Agosto, até 10 de Setembro.

28 julho, 2009

Poema ao Rio Sabor


Lembras-me águias-reais
Deslizas tão indolente
Saudades cada vez mais
Deste rio… desta gente

No teu espelho de água
Onde me delicio a rigor
Apenas me fica a mágoa
Não te ver mais vezes...Sabor

Em ti deito o meu olhar
E ao descansar no teu leito
Quanto mais me aproximar
Mais te colocas a preceito

Cresce em mim a ansiedade
Em ti coloco o meu peito
Deste rio… tanta saudade
Lembras-me um amor-perfeito

As tuas águas tão livres
Passam calmas e silenciosas
Ultrapassam pequenos declives
Nas imensidões invernosas

Nas tuas margens verdejantes
Olho tudo em teu redor
E as papoilas saltitantes
Lembram-me o meu amor

Quando te ouço cantar
Penso seres… uma sereia
Que vontade de te amar
Que saudade… da minha aldeia

Fernando Silva

nota: enviado por email
Fotografia: Rio Sabor (08-05-2008)

27 julho, 2009

Felicidade


Felicidade, estranha sensação tão desejada e tão pouco encontrada.
Passamos a vida a procurar ser felizes, pensando como seriamos felizes se tivéssemos feito outras escolhas na vida, ou se possuíssemos certos bens associados a felicidade.
Mas, por mais irónico que isso possa parecer, é quando perdemos algo que nos damos conta de que éramos felizes com o que tínhamos, seja uma amizade, um relacionamento ou um familiar.
Porque será necessário perder as coisas para vermos quanto valiam?
Porquê procurar alcançar algo que já temos, por vezes ao nosso lado?
Porque não tentar ver a felicidade que há numa amizade, no amor, na família, num sorriso ou numa delicadeza?
Porque gastamos muitas palavras quando já não nos ouvem, quando antes estávamos calados?
Encontre a felicidade de estar vivo, de poder amar e ser amado, de ser ouvido e compreendido.

Seja feliz.

Solitário

(enviado por email)
Fotografia: Estrada N102 perto da Junqueira, ao volante! (07-06-2008)

26 julho, 2009

Larinho - Igreja Matriz (2)


Pintura do tecto da capela mor da igreja matriz do Larinho.

21 julho, 2009

Larinho - Igreja Matriz

Interior da bonita igreja do Larinho. A fotografia foi tirada do coro.

17 julho, 2009

À Descoberta - primeiros passos

No inícios dos anos noventa, quando leccionei na extinta escola Preparatória, aventurei-me várias vezes com os meus alunos pela Serra do Reboredo. Recordo as suas caras alegres, do nome de alguns e fico muito satisfeito quando os reencontro. Cumprimentos para todos, onde quer que estejam.

15 julho, 2009

Cruzeiro - Cabeça Boa

Cruzeiro em Cabeça Boa.

12 julho, 2009

Inauguração do Núcleo Museológico do Douro Superior

O Núcleo Museológico do Douro Superior abriu hoje portas. Este espaço nasceu do gosto e persistência de Arnaldo Silva que lutou por este momento nos últimos quatro anos.
A cerimónia iniciou-se com um concerto dado por um grupo de alunos da Academia de Música de Mirandela (Esproarte) na capela da Misericórdia, a poucos metros de distância do edifício recuperado para a instalação do núcleo museológico. De seguida foi descerrada uma lápide comemorativa do evento e cortada a fita. Já no interior, ouviram-se algumas palavras de louvor ao empenho do mentor do projecto e referências à importância do mesmo. O senhor cónego Sobrinho rezou uma pequena oração e foi servido um Porto de Honra.
Foi o momento dos presentes apreciarem o acervo do espaço, enquanto desfolhavam o primeiro número da revista Superior D’ouro, que foi distributiva.

Alguns prestaram especial atenção às pessoas que aprecem nalgumas fotografias, reconhecendo antepassados ou algumas figuras mais conhecidas da vila ou das aldeias, outros concentraram a sua atenção no já vasto conjunto de máquinas existentes, documentando várias décadas da história da fotografia: câmaras fotográficas, ampliadores, câmaras de filmar, máquinas de projectar e um sem número de acessórios para captar ou processar as imagens. Para os mais interessados na fotografia em si, não falta um pequeno historial, desde os primórdios até à actualidade, com placares explicativos dos diferentes processos de revelação.

O espaço, que não é muito vasto, foi recuperado com muito bom gosto e está completamente preenchido proporcionando uma agradável visita. Estão em destaque a Linha do Sabor, a cultura da amêndoa, o trabalho do barro no Felgar, a exploração mineira, etc.

Por fim todos os presentes se deslocaram para torreão da entrada medieval da vila de Torre de Moncorvo onde foi servido um buffet. Foi também uma oportunidade única para conhecer a pequena capela de Nossa Senhora dos Remédios, anterior ao séc. XVIII, construída sobre a única entrada ainda existente para muralhas do castelo.

11 julho, 2009

Hoje há festa na aldeia


O Verão está aí e as aldeias transmontanas vão encher-se de gente, música e alegria.
Eu gosto de festas mas, este ano, tenho concorrência à altura, os políticos!
Decidi publicitar no Blogue todas as festas de Verão do concelho. Para isso basta que me enviem, em formato electrónico ou em papel, o respectivo cartaz.
A conta de correio electrónico é torredemoncorvo@gmail.com, mas também podem enviar pelo correio para:
À Descoberta
Rua de Angola, n.º9
5360-357 – Vila Flor

Fotografia: Igreja matriz do Felgar.

10 julho, 2009

Capela de Nossa Senhora do Rosário



Pormenor da Capela de Nossa Senhora do Rosário, na Adeganha.

08 julho, 2009

Flora - Cenoura


Flores selvagens. As flores da cenoura selvagem são de uma rara beleza! Costumo compará-las a uma renda de bilros, mas também me fazem lembrar algumas construções matemáticas. Este tipo de flores, como a da salsa, do funcho, etc. são características das umbelíferas (também chamadas Apiáceas). O Nome científico da cenoura é Dacus carota.
A fotografia foi tirada junto à Foz do Sabor.

06 julho, 2009

Flora - Malvas

Delicadas malvas junto ao Rio Sabor.

04 julho, 2009

Pedras com história (1)


Mesmo numa visita rápida, corremos o risco de nos esbarrarmos com a história, em Açoreira. Quase à entrada da aldeia, encontrei estas inscrições na ombreira da porta de uma casa reconstruída. Entre outras coisas é bem visível o ano de 1711!

03 julho, 2009

Políticos

Investigando sobre o Dr. Armando Pimentel, fui encontrar no Museu Berta Cabral, em Vila Flor, esta curiosa fotografia. Estava capaz de oferecer um prémio a quem identificasse um os ilustres políticos que nela constam, mas seria uma tarefa complicada porque a fotografia é de 1909. Representa um grupo de chefes políticos dos diferentes concelhos do distrito de Bragança, amigos do conselheiro Teixeira de Sousa (último presidente do Concelho da Monarquia).
O terceiro (em pé, da esquerda para a direita é A. Morais Pimentel (de Castelo Branco, Mogadouro), tio do Dr. Armando Pimentel.

01 julho, 2009

Fauna - Borboleta (1)

A identificação de insectos será das mais árduas tarefas que se colocam aos especialistas da classificação de seres vivos, dado que os Artrópodes (filo a que pertencem as borboletas) tem mais de um milhão de espécies.
Esta simpática borboleta poderá ser uma Argynnis aglaja ou Argynnis adippe e foi fotografada junto ao Rio Sabor.